To Live Abroad

# Uma brasileira que deu certo na China

Nome: Joana Leão Riquet                Idade: 26

País de Origem: Brasil

Em quais países você já morou? Estados Unidos, China e Brasil

País onde reside atualmente: China

Quanto tempo neste país? 4 anos e 4 meses

Qual o fator determinante pra você aceitar a transferência internacional?

O fato de que eu tinha esse plano de estudar Chines para me especializar em estudos de China Contemporanea. Meus pais não só me aceitaram minha escolha como apoiaram e apoiam ate hoje.

De quem você recebeu auxilio durante a mudança?

– Recepção no país: Recebi a ajuda da familia do adido militar na epoca. Ele era amigo do meu pai nos tempos de Marinha.

– Busca de bairro para moradia: Logo que cheguei fiquei alguns dias na casa da familia do amigo do meu pai, mas em poucos dias estava morando no dormitório da Universidade onde estudava Chines. Alguns meses depois, cansada de morar em um quarto de 14 metros quadrados, eu e uma amiga Neo-zelandeza decidimos alugar e dividir um apartamento que ficava bem perto da universidade.

– Busca de escolha ou cursos: Todas as minhas escolhas de cursos eu fiz sozinha. Quando deciidi estudar Mandarin, eu estava ainda no Brasil escrevendo minha monografia de graduacao sobre a Revolucao Cultural Chinesa. Foi durante a pesquisa que vi o nome da Universidade Normal de Beijing, que foi uma das faculdades onde os guardas vermelhos atuaram. Depois de fazer uma pesquisa descobri que a faculdade era muito boa e dicidi ir para la. O mestrado eu comecei dois anos depois de ter chegado na China. Comecei a pesquisar programas de mestrado na China sobre China mas ensinados em Ingles. Dai descobri esse programa de Estudos de China Contemporanea Na Renmin University (Universidade do Povo). Era uma programa novo, mas muito bom!

De zero à dez (0-10), quanto você acredita que precisou abrir mão de tudo que lhe é conhecido para entrar em um mundo com novas representações e novos significados?

Oito

Quais os fatores interculturais, mais estressantes para você:

Idioma/ alimentacao/ servicos de saude/ fuso horario/ falta de relacoes socias( com os chineses)/ formas de se relacionar/ diferenca de pontualidade

Houve alguma situação em que você se sentiu confuso ao interpretar alguma informação no país onde está morando?

Na China tudo e diferente. As vezes um pouco diferente, as vezes muito diferente. Os sinais que eles usam para indicar numeros sao diferentes! E como aprender linguagem surdo-mudo! Hoje em dia e engracado pq eu uso esses sinais mesmo quando falo em ingles!

Relate uma ou mais diferenças entre o Brasil e o país onde você está morando, que em um deles é considerado normal e no outro não:

Aqui a falta de privacidade e normal. Lembro da minha primeira ida a um banheiro publico. As privadas sao sempre ou quase sempre no chao, o que eu hoje em dia acho otimo pq e mais limpo ( vc nao tem contato nenhum com ela) e pratico. Porem, muito desses banheiros nao tem porta, ou seja, vc faz tudo na frente dos outros!!!! Hoje em dia, para mim isso e tranquilo, nem ligo mais. Outra coisa que da nojo nos estrangeiros e  a mania dos homens chineses de cuspir. Quantas vezes ja nao vi um taxista abrir a porta do carro e dar uma mega escarrada no chao! Tbm ja vi a mesma coisa sendo feita em restaurantes!!! Com o tempo vc acostuma

Alguma atitude tua, chocou outras pessoas deste país?

Chocar nao. Mas os chineses acham engracado quando eu dou uma gargalhada. As mulheres chinesas nao fazem isso. Elas sorriem e cobrem a boca para rir. Entao quanto eu abro a boca numa gargalhada eu chamo atencao. Em alguns lugares da China onde a poucos estrangeiros, o mero fato de eu ser ocidental ja choca eles! Eles olham e olham e olham espantados!

Alguma festa comemorativa é festejada de forma diferente dos costumes brasileiros? Quais?

Bem, a China e comunista, entao nao ha feriados religiosos. Aqui nao tem natal por exemplo, Dia 25 de Dezembro e um dia como outro qualquer. Os casamentos tbm sao celebrados de forma diferente. Nao ha Igreja, e as mulheres veste vermelho, que a cor da felicidade.O ano novo deles tbm e diferente. Eles seguem o calendario lunar e celebram por uma semana inteira. O feriado mais importante e o primeiro de outubro, fundacao da Republica Poplar da China que aconteceu em 1 de outubro de 1949. Esse ano comemoramos 60 anos! Foi uma super parada na Praca Tiananmen!!!!!

Como você lidou com as festas de fim de ano longe da sua família no Brasil?

Lidei bem! Sempre passei com amigos, saia para jantar, para dancar. Ligava para a minha familia. Nunca sofri, nunca chorei. A gente acostuma especialmente pq aqui na China nao ha espirito natalino!

Em algum momento você se sentiu desconfortável, como um “peixe fora d’água”? Conte pra gente…

A vida aqui e muito diferente e os estrangeitos tendem a se juntar e viver no que eu chamo de uma bolha. Moro com meu namorado que e um expatriado dinamarques. Nossos amigos sao todos estrangeiros de diferentes lugares. Na escola onde estudo chines, tenho colegas do mundo todo. Somos todos peixes fora dagua mas em um circulo de pessoas tao variado, deixa de existir um padrao de comportamento.

Sentiu algum tipo de preconceito contra você ou contra algum membro da sua família? Relate a situação.

Nunca! Quando digo que sou brasiliera os chineses vao a loucura porque sao fas do futebol brasileiro. Eles ficam espantados pq nao sou negra. Para a maioria deles todo brasileiro e negro!

Em algum momento sentiu vontade de voltar para o Brasil, devido a diferença cultural? Por quê?

Nao. Ja tive meus chiliqes quando fiquei frustrada por ter sido passada para tras, por exemplo quando vou as compras em lugares onde tenho que negociar o preco. As vezes fico frustrada com um motorista de taxi que berra comigo pq ele nao gosta de ir ao lugar que eu quero ir. Mas tudo isso passa. Gosto de morar aqui apesar dos problemas do dia a dia

Em algum momento você sentiu que devido a cultura local, você teria que abrir mão de um valor pessoal? Relate a situação. Tive que abir mao de algumas coisas. Por exemplo,meu apego a minha privacidade. Os chineses perguntam tudo e querem saber tudo. Banheiros sem porta, vendedores que pegam em te puxam para que vc compre alguma coisa.

Qual a vantagem de conviver a maior parte do tempo com grupos de Brasileiros expatriados como você? O quanto você acredita que essa convivência possa ajudar na adaptação cultural?

Do que você mais sentiu ou sente falta, que no Brasil você tem?

Sinto falta de algumas coisas. Por exemplo, livre acesso a informacao. Aqui o youtube e boqueado, facebook e bloqueado, CNN e BBC poucas casas tem e se o sinal vem da China, o governo pode tirar do ar caso a noticia seja polemica (como por exemplo o aniversario da revolucao cultural). Sinto falta da comida brasiliera pq nao gosto muito da Chinesa. Sinto falta de ir a um supermercado e achar variedade nas coisas que gosto. Num supermecdo chines se eu achar uma marca de manteiga ja e muito!!!! Se quero variedade preciso ir a lojas internacionais onde tudo e caro!

Aqui em Beijing nos temos todas as estacoes. O verao e super quente e o inverno e super frio! A poluicao aqui tbm e terrivel. Eles queimam carvao para gerar energia. No inverno tem dias que o ar cheira a carvao! A poluicao e tanta que vc nao enxerga o predio que esta na sua frente! Sinto falta da praia e logico! Tbm sinto falta do bom humor carioca! Os chineses sao mais fechados.

Qual o papel você acredita que a família tem, em casos de não adaptação cultural? No que você acha que a família pode auxiliar?

Eu vim pra ca sozinha e hoje em dia moro com meu namorado. Minha familia sempre de apoio, mostrou interesse. Nao tive problemas de adaptacao, mas sempre que tive alguma dificuldade, algum problema pude contar com minha familia. Minha familia ajuda pq sei que se eu precisar dela, ela esta la. Nunca senti falta de casa. Para mim casa e a algo fluido. Vc muda de casa, de pais, de circulod e amigos. Minha base, minha raiz e minha familia.

No que a experiência de ser expatriado, contribuiu pra você?

Hoje em dia me considero uma pessoa mais aberta. Durante esses anos na China minha mete expandiu. Vi culturas diferentes, passei por experiences inesqueciveis. Acho que ganhei experience de vida, que muitas pessoas da minha idade nao tem.

Quais os serviços você considera que teriam sido, (ou foram) importantes para amenizar o choque cultural? Comente.

Auto conhecimento: Esse e o mais importante. Mas acho que a experiencia de viver fora contribui muito para seu auto conhecimento.

Informações sobre o país antes da partida: Muito importante. Eu cheguei sabendo pouco e hoje em dia que ja conhceco bem, navego muito bem na sociedade chinesa.

Viagem para familiarização: Antes de me mudar para ca em 2005 eu vim em 2004 a passeio. Porem, a experiencia como turista e como moradora foram totalmente diferentes!!!!!

Apoio para busca de moradia / escola / cursos: E bom ter esse apoio. Meu apartamento, minha escola. Achei tudo sozinha. Claro qur que tive ajuda em varios momentos. Mas, se tivesse tido alguem para me ajudar no meu primeiro contrato de apartamento, por exemplo, teria sido muito melhor. Eu tive que fazer isso sozinha, aos 22 anos e falando pouco chines.

Treinamento Intercultural : Ajuda com certeza. Especialmente quando falamos em China onde tudo e diferente. Aprendi isso na pratica e deu certo. Mas acredito que e melhor se informar sobre algumas antes de vir.

Contato com outros brasileiros morando no país anfitrião: E bom! No comeco sempre tive amigos do meu pai que trabalhavam a embaixada. Mas nunca tive muitos amigos brasileiros. Hoje em dia a maioria e estrangeiro. Tenho muito contato com a comunidade dinamarquesa, que e nacionalidade do meu namorado.

Sobre o choque cultural… Se você pudesse dar um conselho para quem está indo para seu país sem prévias informações sobre a cultura, qual seria o conselho?

Tres conselhos: primeiro. A china é um pais que ficou fechado muito tempo, tem uma historia marcada por fases de isolacionismo. Alem disso, o fato de se ser estrangeiro esta na pele. E so olhar para nos e os chineses ja sabem que nos nao somos chineses. Para mim que ja morou nos estados unidos foi um choque, enquanto la eu me misturei facilmente, aqui eu nunca consegui. Entao ai vai meu primeiro conselho: A total imersao e muito dificil ou impossivel. Se quiser ser feliz na China aceite isso e sua vida sera muito mais facil. Segundo: faca um esforco para aprender a lingua inckusive a escrita. A essencia de uma cultura esta na lingua. E pq a escrita? Pq sao os caracteres e nao as palavras faladas que contem significado. E uma linga dificil, mas muito interessante! Tercerio: Viva a sua experiencia e nao a dos outros. O modo como vc ve um pais uma cultura depende muito de como vc como individuo le o mundo. A minha China e a soma do pais em si, das pessoas que me cercam e da minha bagagem pessoal. Cada um tem seu modo de ver o mundo navegar nele. Temos que cada um achar nossos proprios caminhos e decidir ate que ponto queremos nos imergir no mundo novo.

Gostaria de considerar mais alguma coisa?

Gostaria so de adicionar que ainda acho que poucas pessoas conhecem a China. So vejo noticias relacionadas a economia ou entao noticias que tratam a China como um pais comunista, sem liberdade, com um governo terrivel que censura e diz nao a democracia. Acho isso trsite, pois ha muito mais. E um pais rico que esta crescendo apesar de tosdos os problemas que enfrenta. Apesar da censura, esta havendo uma abertura super rapida. Ha tbm varias experiencias democraticas no pais hoje em dia, como eleicoes locais. Em relacao a liberdade, me sinto muito mais livre em Beijing, onde posso andar sozinha pelas ruas a noite do que no Rio de Janeiro. Ha problemas aqui, com certeza. Concordo com tudo que vejo, claro que nao. Mas me incomoda quando escuto pessoas criticando a China sem conhece-la. Ha muitas coisas boas. Apesar das eventuais dificuldades, me sinto em casa aqui.

Advertisements

01/08/2010 - Posted by | # ENTREVISTAS, China

2 Comments »

  1. Paara mim uma agradavel surpresa. Maior divulgacao seria oportuno pela riqueza de detalhes!!

    Comment by Luciano Riquet | 06/04/2011 | Reply

  2. Joana é minha sobrinha. Adorei a entrevista. Ela transmitiu muito bem os desafios de viver num país diferente. Também tenho esta experiência: vivo desde 1983 nos Estados Unidos. Acompanho com muito interesse a experiência dos expatriados, dos “Brasileiros no Mundo”.
    de Miami, Adriana Riquet Sabino

    Comment by Adriana Sabino | 06/06/2011 | Reply


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: